segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Nada vai mudar

Se eu sair nada adianta, o que eu tenho que fazer?
Deixei todos lá em casa, minha mãe nem vem me ver
Essa massa em sociedade me condena no Brasil
Aqui dentro faz escola para bandido com fuzil.

Se vier me visitar, fique longe desta grade

Ela deve lhe mostrar o valor da liberdade
Eu não sei o que alimenta o juiz que condenou

Mas garanto que teus filhos o governo sempre olhou.

Nestas ruas, nestes muros, tem crianças para cuidar

São jogadas como lixos, elas vão te procurar
Sobre a cela na manhã, mais um dia ao acordar
Aguarde-me lá de fora se um dia eu voltar.

E se eu sair não faça espanto o Brasil não vai mudar

Detenção não recupera, já vem outro em meu lugar.

© GERSON CLAYTON RODRIGUES DOS SANTOS. 2015- Todos os direitos reservados



Concurso Nacional Novos Poetas PRÊMIO SARAU BRASIL - Participação em Livro - Poema: "NADA VAI MUDAR"  Ed 2015 - Vivara Editora   


6 comentários:

  1. Minha admiração pelos seus escritos e meus aplausos, poeta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras amiga, bjo poéticos!

      Excluir
  2. Ás vezes a vontade de ostracismo me espanta!
    A vontade de andarilho me puxa
    E as mudanças sempre acontecem
    E hoje nem sei mais...
    A história cíclica arrebenta.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belos versos meu caro, obrigado pelas palavras!

      Excluir